Especial

Capítulo 2: Dono da América

Marcelo Grohe brilhou nos pênaltis e o Grêmio conquistou o bicampeonato da Recopa

15 JUN 2018 12:00 | Atualizado em 15 JUN 2018 12:07 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Embalado pelas conquistas de 2016 e 2017, o Grêmio não deixaria 2018 começar com derrota. Logo de cara, mais um título: o terceiro nesta Era Portaluppi. Contra o Rey de Copas Independiente, os tricampeões da América mostraram quem manda no futebol sul-americano. A Recopa Sul-Americana ficou na Arena.

Enquanto o Grêmio finalizava sua pré-temporada, o Independiente chegou à Recopa a pleno. Campeões da Sul-Americana sobre o Flamengo dentro do Maracanã, os argentinos estavam no meio da temporada, enquanto o Tricolor era atropelado pelo calendário. Mas não contavam que Luan brilharia em Buenos Aires e Marcelo Grohe em Porto Alegre.

Por ser campeão da Libertadores, o Grêmio garantiu o direito de decidir o título em casa, e embarcou no dia 12 de fevereiro para Buenos Aires. Na noite do dia 14, Independiente e Grêmio deram o pontapé inicial nas disputas sul-americanas em 2018. O clima de cortesia ficou fora das quatro linhas, e as duas equipes mais coperas da América protagonizaram um duelo de técnica e força no estádio Libertadores de América.

A surpresa do Independiente não poderia ser maior quando, aos 22 minutos, Luan forçou o erro na saída da defesa adversária e, de perna esquerda, tirou o goleiro Campaña para fazer 1 a 0. Infelizmente, Cortez empatou para o Independiente após leve desvio que traiu Marcelo Grohe. Mas o Grêmio não se abalou e nem desistiu de jogar. Nervoso, o Independiente ainda viu Gigliotti, seu melhor jogador, ser expulso após jogada violenta.

Uma semana depois, em 21 de fevereiro, 42 mil 921 torcedores lotaram a Arena para empurrar o Grêmio a mais uma conquista. O Independiente, porém, foi bravo – e nervoso. Com 42 minutos do primeiro tempo os argentinos tiveram mais um jogador expulso, mas não se entregaram. Campaña foi o nome do tempo regulamentar, fechando o gol em todos os ataques do Grêmio e garantindo o 0 a 0 que levou a partida à prorrogação.

Nos 30 minutos adicionais, nada de gols. O Independiente se segurou como pode e conseguiu mais uma vantagem: com um a menos, decidir nos pênaltis era lucro. Mas na hora decisiva, não havia Campaña que parasse os jogadores do Grêmio. Na hora da verdade, o melhor goleiro estava do lado azul, preto e branco. Enquanto Maicon, Cícero, Jael, Everton e Luan converteram todas as cobranças do tricolor, Marcelo brilhou na última do Independiente e segurou o chute de Benítez. Por 5 a 4 o Grêmio repetia o time de 1996 e era bicampeão da Recopa Sul-Americana.

No jogo do título, Renato escalou o Grêmio com Marcelo Grohe; Léo Moura (Paulo Miranda), Geromel, Kannemann e Bruno Cortez (Lima, na prorrogação); Jailson (Jael), Maicon, Alisson (Maicosuel), Luan e Everton; Cícero.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Imagens: GrêmioTV / Divulgação

Grêmio x Independiente 21/02/18 Recopa Sulamericana