Superávit

Conselheiros examinam demonstrativos contábeis e financeiros do terceiro trimestre de 2020

Colegiado se reuniu em Sessão Ordinária virtual na noite desta segunda-feira

16 NOV 2020 20:22 | Atualizado em 16 NOV 2020 20:22 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Na noite desta segunda-feira, 16/11, o Conselho Deliberativo do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se reuniu, em sessão ordinária virtual, para examinar os demonstrativos contábeis financeiros do terceiro trimestre de 2020.

Dentro da prática de governança corporativa e da política de transparência idealizada pelo Conselho de Administração, os números já haviam sido disponibilizados na última semana com a publicação do Demonstrativo de Resultado e o Balanço Patrimonial no Portal de Governança do Clube (https://gremio.net/governanca/).

A sessão contou com a participação do presidente Romildo Bolzan, que enalteceu o trabalho do Clube visando minimizar os impactos da crise econômica decorrente da pandemia e salientou que a administração segue mantendo o plano de contingência que vem tornando a instituição sustentável. Segundo Bolzan, o Tricolor será um dos poucos clubes do país equilibrado e competitivo para o final deste ano e para 2021.

Os resultados do terceiro trimestre de 2020 foram apresentados pelo CEO do Grêmio, Carlos Amodeo.

O Clube encerrou o período com EBITDA de R$ 65,86 milhões e um Superávit de R$ 25,6 milhões.

Os principais destaques do terceiro trimestre foram (i) a transferência dos direitos econômicos e federativos do atleta Everton Souza Soares ao SL Benfica e (ii) a reclassificação contábil dos valores relativos ao Contrato de cessão dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

Essa reclassificação ocorre sobre a parcela fixa dos contratos de cessão dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro (Tv Aberta/Fechada e PayperView), que o clube, normalmente, realiza o registro contábil da receita ao longo do período contratual, isto é,  em 12 (doze) parcelas mensais de janeiro a dezembro de cada ano.

Contudo, levando em consideração que em meados de julho deste ano, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou que, excepcionalmente, a Temporada de 2020 do Campeonato Brasileiro, iniciada em agosto/20, se estenderá até 24 de fevereiro de 2021, o entendimento predominante, é de que as receitas da parcela fixa do Contrato de cessão dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2020, deve ocorrer exclusivamente durante o período da competição (agosto/20 a fevereiro/21), com base na ITG 2003 (R1) de 2017 e na NBC TG 47 de 2016.

Com o objetivo de se harmonizar a este entendimento predominante, em agosto/20, o Clube realizou o estorno da receita relativa à parcela fixa do Contrato de cessão dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2020, registrada nos meses de janeiro a julho/20, no montante de R$ 46,5 milhões,  reclassificando tais valores como Antecipações Diversas no Passivo Circulante.  

Apesar da relevante queda das receitas operacionais ao longo do ano, em virtude da crise econômica ocasionada pela Pandemia, outro fator relevante a destacar, é a redução do endividamento bancário do Clube, que em 30 de setembro de 2020, totaliza aproximadamente R$ 8,6 milhões, sendo, R$ 3,98 milhões, a curto prazo e R$ 4,68 milhões, a longo prazo.

Por fim, todas as medidas adotadas no âmbito do Plano de Contingência se mostraram eficazes e foram vitais para que o Clube se mantivesse estável, econômica e financeiramente.  

Na sequência, foram apresentados os pareceres do Conselho Fiscal e da Comissão de Economia e Finanças.

A reunião, comandada pelo presidente da Casa, Carlos Biedermann, e pelo vice, Alexandre Bugin, no auditório da Arena, contou também com a participação presencial dos membros do Conselho de Administração.

 

Foto: Daniele Lentz