Futebol Feminino

Mãe atleta: zagueira Beta está grávida do primeiro filho

Integrante do elenco da equipe feminina está à espera de Théo Roberto

23 JUL 2020 16:00 | Atualizado em 23 JUL 2020 14:35 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

 

Conciliar a vida profissional esportiva com a maternidade é um dos maiores dilemas entre as mulheres atletas. E o ano de 2020 ficará marcado na vida da zagueira do time feminino do Grêmio, Beta, não somente pela pandemia, que mudou a rotina do futebol por um bom tempo, mas pelo desafio de ser mãe de primeira viagem.

A atleta está grávida de seis meses do menino Théo Roberto, que deve nascer em outubro. Com isso, tem encarado o dia a dia de cuidados da gestação e realização de treinos adaptados, de acordo com as orientações médicas e com acompanhamento cuidadoso da comissão técnica. 

Fundamental na conquista do Gauchão de 2018 e na campanha que deu acesso ao Tricolor para a elite do futebol feminino brasileiro, Beta se encheu de questionamentos ao descobrir a gravidez. Ela entendia que, para uma mulher, se tornar mãe e seguir a carreira de atleta não é uma decisão fácil, já que envolve alterações físicas, uma pausa nas disputas em campo e o aumento da responsabilidade. 

“Senti um mix de emoções e uma das perguntas foi ‘o que vou fazer com minha carreira de atleta?’. Sabia que eu teria mudanças na minha rotina, no meu corpo e teria a tarefa de seguir minha carreira como mãe também. Mas recebi apoio do meu companheiro, da minha família, da comissão técnica, que me ajudou muito desde que comuniquei, então sou muito grata por isso. E estou muito feliz de poder dividir isso com os gremistas”, contou.

Para o diretor do Departamento de Futebol Feminino, Yura, a gestação de Beta pode servir de exemplo para outras atletas do Brasil e o Grêmio seguirá dando suporte e ela até o retorno aos gramados.

“Beta sempre foi muito especial para nós, uma atleta extremamente comprometida e importante em nossas conquistas desde retomamos o futebol feminino no Grêmio. O Théo Roberto é muito aguardado por nós e desejo que ela seja um exemplo dentro e fora de campo para outras mulheres que têm esse sonho”, disse.

Beta é a segunda mãe do grupo, já que Carlinha tem uma filha de 16 anos, a Diully.