Exemplo

Saiba como foi a montagem da estrutura implantada no CT Luiz Carvalho para receber o Departamento de Futebol

Novo esquema de trabalho baseado nos novos protocolos de combate ao COVID-19 foi estruturado semanas antes do retorno às atividades

15 MAI 2020 17:39 | Atualizado em 16 MAI 2020 11:30 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

A estrutura montada pelo Grêmio para receber o Departamento de Futebol Masculino no início deste mês tem sido elogiada por profissionais da saúde e servindo de exemplo para outros clubes do Brasil que visam o retorno ao treinamentos. Desenvolvido pelo departamento médico do Clube em conjunto com a diretoria e setores administrativos, novos parâmetros de convivência, diante de um rígido protocolo de distanciamento para prevenir o contágio do vírus por atletas e funcionários, foram colocados em prática.

A rotina no CT Luiz Carvalho mudou, assim como os acessos e a infraestrutura oferecida. Do lado externo, estações para atendimentos aos atletas, no campo, comissão e jogadores em distanciamento rígido chamam a atenção. Toda a introdução desse novo esquema de trabalho começou a ser montada semanas antes da definição de retorno das férias do departamento.

Com reuniões diárias por videoconferência, profissionais do Clube faziam a antecipação de cenários. Com o agrupamento de informações com as necessidades de cada área, somadas às orientações do departamento médico, que mantinha contato com a CBF, e exemplos de protocolos de ligas europeias, a estruturação começava a tomar forma.

“O grande desafio foi buscar todas essas informações e adaptar para a nossa realidade. A gente conseguiu fazer toda a higienização do nosso CT, que foi muito importante para dar a segurança inicial, e depois construir todas essas estruturas que é possível ver no dia a dia.  Esses processos foram pensados de forma antecipada, com muita discussão e orientando os atletas em como isso tudo ia funcionar no dia a dia. Um trabalho de três semanas, que foi muito hábil entre todas as áreas, mas que com certeza estamos conseguindo êxito na nossa jornada”, explicou o supervisor de futebol, Marcelo Rudolph.

Estruturas provisórias, de acordo com os critérios estabelecidos pelos órgãos de saúde, foram construídas. Uma central e ao ar livre, com 200 m2, está instalada ao lado do campo dois e é utilizada pelo Departamento Médico, Fisiologia, Nutrição, Massagem e para atender o pré e pós-treino dos atletas e membros da CT.

Fazem parte dessa composição estrutural, visando atender às necessidades dos treinamentos, outras três estações - na entrada do CT, para a verificação da temperatura corpórea dos atletas e funcionários, a exclusiva para a realização de avaliações médica e testagem dos atletas e duas ilhas de hidratação, distribuídas entorno do campo. Equipamentos de proteção individual para utilização de todos os funcionários e equipamentos também foram adquiridos.

“Durante todo esse período de parada, a gente manteve contato com toda a comissão e atletas passando as orientações e sugestões  dos profissionais envolvidos para os atletas, orientando eles nas atividades e nas questões de segurança em casa. A partir do momento que foi dada a possibilidade do retorno ao CT para a realização das atividades, nós discutimos entre comissão, médicos e diretoria as formas para que fosse possível. Então, passamos a construir protocolos e processos desde a chegada do atleta, da comissão, funcionários, até o início especificamente das atividades aqui”, explicou o supervisor de logística, Pedro Aguiar.

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA