Chega de Racismo

Grêmio e Defensoria Pública da União se unem no combate ao racismo no futebol

O Clube é o primeiro no país a formalizar aliança com o órgão federal para implantar ações contra a discriminação racial

04 DEZ 2019 21:20 | Atualizado em 04 DEZ 2019 21:24 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Nesta quarta-feira, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense deu mais um  importante passo no combate a um dos maiores problemas sociais da atualidade e que  no contexto do futebol, tem reverberando para  dentro das quatro linhas: o racismo. Ciente da importância em se combater todo e qualquer tipo de  manifestação  racista,  foi realizada na tarde desta quarta-feira,   a assinatura de Protocolo de Intenções entre Grêmio e  a Defensoria Pública da União, por meio do Grupo de Trabalho de Políticas Etnorraciais  (GTPE-DPU). O documento assinado pelo presidente Romildo Bolzan, pelo Subdefensor Público-Geral Federal Jair Soares Júnior, pela  defensora pública da união e coordenadora do grupo de trabalho de Políticas Etnorraciais, Rita Cristina de Oliveira,  prevê ações de enfrentamento ao racismo institucional e estrutural no âmbito do futebol. A solenidade contou com a presença do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Luciano Hocsmann, do Diretor do Observatório de Discriminação Racial, Marcelo Carvalho, entidade apoiadora e uma das principais  articuladoras no combate a práticas discriminatórias no futebol, do ex-árbitro e também uma das vozes contra a discriminação racial, Márcio Chagas,  conselheiros, líderes  de movimentos políticos do Grêmio,  além de inúmeras autoridades públicas da Defensoria Pública do Rio Grande do Sul, do Tribunal Regional Federal da  4ª Região, representantes da Ordem dos Advogados do Estado, além integrantes  de grupos ativistas antirracismo. No início da solenidade,  a GrêmioTV  exibiu vídeo alusivo ao tema, com a chancela do  Clube de Todos, projeto formado por uma comissão de dirigentes e colaboradores que trabalham  ações políticas-institucionais de inclusão social e contra atos discriminatórios de toda natureza, como gênero e raça.

 O vice-presidente do Conselho Deliberativo, Alexandre Bugin, abriu o evento dando boas vindas a todos os presentes  e exaltou a iniciativa que segundo ele está exatamente alinhada ao projeto Clube de Todos: “Essa assinatura dá consistência e base ao nosso trabalho e mostra a intenção do Grêmio em atuar contra o racismo.  O Clube como instituição tem responsabilidade para além das quatro linhas que é o de ajudar a construir a cidadania. É uma missão muito grande, mas que temos certeza que será atingida  com êxito por que este é o nosso propósito.”

Já a defensora pública Rita Cristina de Oliveira, em seu pronunciamento, destacou a receptividade do Grêmio em assinar o Protocolo com a DPU e discorreu sobre a relação do trabalho praticado pelo órgão federal, envolvendo o racismo e  o futebol.  “Encontramos aqui no Grêmio atividades em andamento com o objetivo de consolidar práticas antirracistas, o que nos trouxe muita satisfação. O futebol é considerado uma paixão nacional e mundial, porém ao que se mostra, tal qual a nossa sociedade, nasceu sobre bases   estruturantes adoecidas pelo racismo. Negar essa realidade é leviano, irresponsável e um projeto de autoengano para continuar desfrutando de privilégios sobre essas estruturas que insistem em se dinamizar para continuar subjugando pessoas negras no País. O universo do futebol pode ser capaz de criar mecanismos que produzam sentimentos e ações em contraposição a esse universo perverso”, ressaltou.

A iniciativa também foi saudada pelo presidente Romildo Bolzan: “O Grêmio professa valores humanistas e civilizatórios muito além das relações. Somos um Clube inclusivo, assim como todos os clubes de futebol são inclusivos. Grande parte do elenco é formado por negros.  Aqui não tem padrinho, nem cor, aqui se vigora o talento de cada um, vigora a capacidade de jogar. O futebol é o esporte mais inclusivo entre as práticas desportivas, o que faz com que uma ação como esta seja tratada com extrema importância por todos nós gremistas”.

A solenidade foi encerrada com o hino do Grêmio e confraternização entre todos os presentes.