A noite que não acabou

Há um ano, o Grêmio conquistava a América pela terceira vez

Triunfo de Lanús ainda segue na memória de quem viver aquele momento histórico

29 NOV 2018 00:01 | Atualizado em 29 NOV 2018 15:48 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

A noite do dia 29 de novembro de 2017 ainda não acabou.

 

Há exatamente um ano, depois de uma década de espera, o Tricolor voltava a decidir a Copa Libertadores da América.

O sonho de vencer a maior competição do Continente pela terceira vez estava mais perto do que nunca.

Naquela noite de quarta-feira, todos as atenções dos gremistas estavam voltadas para o acanhado estádio de La Fortaleza, na pequena cidade de Lanús, na região metropolitana de Buenos Aires.

Eram 4 mil torcedores presentes, que invadiram o país vizinho, empilhados e apertados na velha arquibancada de cimento, além de centenas de milhares espalhados pelo planeta, indiferentes ao fuso horário.

Foram horas de viagem, dias de sofrimento e anos de dedicação para estarem ali, naquele momento.

Dentro e fora de campo, a união entre time e torcida, a paixão marcada na pele e no coração de cada um.

Pelo caminho foram ficando venezuelanos, chilenos, argentinos, equatorianos e até brasileiros. Uma trajetória vitoriosa, embalada pela ambição de conquistar a América.

Um caminho árduo, difícil de ser galgado, mas transposto com muita garra e suor, marcas de um clube que leva a imortalidade em sua essência.

 

Há exatamente um ano, o coração batia mais forte outra vez, como em 83, como em 95.

Uma nova geração sentindo na pele e na alma aquela mesma sensação vivida por pais ou avós. Era o Grêmio das histórias que ela cresceu ouvindo e que alimentou sua paixão.

Tudo veio à tona quando Fernandinho pegou a bola no campo de defesa e partiu empurrado por uma nação rumo à meta adversária. O chute, com a força de uma avalanche, marcou o início do descontrole que tomou conta de cada gremista. Lágrimas e gritos, se misturando nos cantos mais remotos do planeta. Independente das diferenças de raça, de credo, de cor.

Do mais abastado ao mais humilde.

Todos atônitos, acompanhando, como se fosse em câmera lenta, a trajetória de Luan, deixando cada argentino pelo caminho, desfilando sua categoria como fazia nos campinhos de várzea entre amigos.

Se a vantagem mínima já era motivo para desencadear a loucura, o segundo gol liberou o grito de “CAMPEÃO”, há tanto tempo entalado na garganta.

O desafogo de um gigante ferido que só esperava o momento certo da cicatrização.

 

Há exatamente um ano, a noite daquela quarta-feira entrava para a história.

Uma noite que não teve fim e que, até hoje, ecoa pelos quatro cantos do mundo, aonde quer que exista um gremista levando com orgulho as nossas cores.

 

Parabéns, torcedor!

Parabéns por fazer parte desta história!

 

Há exatamente um ano, Grêmio tricampeão da América!

Fotos: Lucas Uebel