Gurias Gremistas

Após deixar os gramados, ex-atacante Karina Balestra é homenageada pelo Grêmio 

Ex-atleta foi recebida pelo presidente Romildo Bolzan na tarde desta quinta-feira na Arena   

19 NOV 2020 17:25 | Atualizado em 19 NOV 2020 17:25 Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Seguindo a valorização do futebol feminino, o Grêmio homenageou uma de suas ex-atletas na tarde desta quinta-feira, no gabinete do presidente do Conselho de Administração, Romildo Bolzan, na Arena. Após ter o contrato encerrado no fim do último mês, a partir da decisão de deixar os gramados depois de mais de 20 anos, a atacante Karina Balestra recebeu uma placa de homenagem e uma camisa com o número de jogos disputados vestindo azul, preto e branco.  

Além do presidente e da ex-atleta, estiveram presentes na homenagem a executiva de administração e planejamento, Christina Muniz, o coordenador geral de futebol feminino, Álvaro Prange, e o supervisor, Osmar Lima. 

“Essa é a comprovação de que o futebol feminino tem criado raízes profundas no Grêmio. Quando uma atleta, que tem cerca de três anos de ‘casa’ conosco e cria vínculos, se tornando um ídolo, isso reflete em como essa cultura da modalidade está se constituindo no cenário do futebol brasileiro. E a Karina ficará marcada na nossa história, pelo que fez e por ser a primeira que sai dessa maneira, reconhecida por ter sido uma capitã, maior artilheira e uma figura importante no futebol do Grêmio”, disse o presidente. 

A ex-atacante Karina Balestra atuou no Grêmio na temporada 2017, na primeira participação do Clube na Série A1 do Campeonato Brasileiro e retornou em 2019, permanecendo até outubro de 2020. Além de ter se tornado a maior artilheira desde o resgate da modalidade, Karina foi fundamental na conquista do acesso para a elite do futebol feminino brasileiro, em 2019, e na campanha que classificou o Grêmio para as quartas de final da A1 na edição desde ano. Foram 55 jogos e 56 gols marcados. 

“Sou grata ao Clube por ter reaberto as portas do futebol feminino em 2017, quando ninguém acreditava mais da modalidade aqui no Rio Grande do Sul. O Clube deu o ponta pé inicial e a chance para muitas meninas que queriam jogar. Eu sempre tive um sonho de jogar no Grêmio e desde o primeiro dia que entrei em campo com essa camisa me identifiquei muito com o Clube, queria fazer uma grande história e acho que não foi diferente. Fico muito feliz por ter deixado de jogar e tomar essa decisão aqui no Grêmio. Só tenho a agradecer a todos do Grêmio que me apoiaram e torceram por mim”.